Buscar

Jardins verticais: aproveitando o espaço e decorando com sustentabilidade

Para quem quer ter área verde e não tem muito espaço, os jardins verticais (também conhecido como paredes verdes ou muros vegetados) chegaram  para agregar beleza e praticidade, sendo uma ótima e vantajosa opção de decoração. Conquistando cada vez mais adeptos, além de poderem ser feitos com diversos materiais, atribuem sustentabilidade por colaborarem com a redução de emissão de carbono, diminuem a temperatura do ambiente e conferem total aproveitamento de áreas externas, fachadas, paredes e até mesmo dentro de casa.

Outro benefício da produção dos jardins é que as plantas também auxiliam na filtração da poluição causada por gases e substâncias particuladas que ficam em suspensão e ao chover retém a poeira no solo. As camadas vegetais anexadas às paredes reduzem os ruídos externos, formando uma concha acústica, por consequência diminuem o estresse gerado por muito barulho.



Mas assim como qualquer mudança no espaço, o jardim vertical pode nascer de uma simples ideia caseira até se tornar um projeto arquitetônico de grande porte. O ideal é ter um planejamento e estruturas mínimas para garantir sua manutenção básica e a irrigação adequada. Procurar por ajuda de um profissional é recomendado, principalmente quando há dúvidas sobre os tipos e técnicas mais cabíveis dentro de cada espaço, quais as plantas mais adequadas e como cuidar.

Um detalhe importante é a rega, já que os jardins são verticais, a chuva pouco poderá auxiliar nesta manutenção. Regadores e gotejamentos são os mais utilizados, e podem ser manuais ou implementados por sistemas automatizados, dependendo do tamanho do jardim. Neste caso, o gotejamento de alguns sistemas pode ser controlado por temporizadores, garantindo a umidade adequada para as plantas. Tamanhos e tipos de plantas devem ser escolhidos de acordo com a iluminação do local, pois apesar de ser muito versátil, não é qualquer tipo que se adapta a essa configuração de jardim.

No mercado, existem diversas técnicas de jardins verticais, para todos os gostos e valores. Entre as mais conhecidas está a técnica de blocos de cerâmicas (Green Wall Ceramic), que são instalados um ao lado do outro, com extensão e altura pré-determinadas, aonde o vão de cada bloco é preenchido com nutrientes para as plantas e a tubulação para rega pode ser embutida. Outra técnica é a utilização de blocos pré-moldados em formato de jardineiras (chamada de Neo Rex). A Wall Green (sistemas modulares de encaixe vendidos como kits), a técnica de fibras de coco (fixação de placas de fibras de coco nas paredes), a técnica de quadro e painel vivo, e até mesmo os eco telhados também tem sido cada vez mais empregadas nos projetos. No projeto mostrado nas fotos, criado pela Moran & Anders



Seja no apartamento, casa ou em locais comerciais, há diversas possibilidades de boas ideias para a produção de um jardim vertical de acordo com o tamanho do espaço e, potencialmente melhorando a sensação de amplitude dos ambientes, além da beleza e da proximidade com a natureza que geram muitos benefícios, inclusive para a saúde. Não deixe de consultar seu arquiteto para saber qual o jardim mais adequado para suas necessidades.

6 visualizações

© 2018, Moran Anders Arquitetura

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
ag alex guerra design comunicação