Buscar

Como as cores podem interferir nos ambientes

Projeto pronto e agora? Hora de definir qual cor irá funcionar melhor nos ambientes da sua casa ou do seu escritório. A tonalidade pode interferir nos objetivos de conforto e até mesmo de funcionalidade de cada ambiente, principalmente pelo impacto psicológico gerado por cada cor sobre as pessoas, tanto pela questão visual como pelos aspectos emocionais.

A cor é uma energia gerada pela emissão de luz incidente em um corpo ou objeto, que refletida nos olhos, resultam em uma cor. Os olhos necessitam da cor, tanto quanto da luz, portanto elas podem animar, estimular, motivar ou deprimir e irritar. Por isso é importante considerar seus efeitos na hora de escolher as cores a serem usadas nos ambientes.



Na arquitetura moderna, as cores passaram a compor parte fundamental da criação de um ambiente. Espaços e cômodos tomam forma e a cor vem como o preenchimento de um ambiente mais agradável, além de proporcionar sensações como amplitude ou redução, intimismo, acolhimento, expansibilidade, segurança, tranquilidade, concentração, entre outras.

Um ambiente residencial ou corporativo pode conter a mesma cor ou várias cores, tudo isso dependerá do objetivo proposto para o espaço e da sintonia que as cores terão com a decoração. O excesso de estimulação com cores fortes, informação visual e muito brilho podem interferir na concentração e causar estresse, ao mesmo tempo que ambientes com poucas cores também são desconfortáveis. O ideal é um acompanhamento profissional para a correta aplicação e escolha das cores e que considere a luz e a saturação, além de refletir a personalidade do proprietário.

Basicamente, as cores são divididas em quentes, frias e complementares. Sendo as cores quentes as que tendem para o amarelo, e suas matizes com os alaranjados e avermelhados. As cores quentes estimulam a circulação do observador, provocando ligeira sensação de aumento de temperatura. São cores alegres e vivas, que estimulam ação. As cores frias tendem para o azul, e as matizes entre o verde, azul e violeta e geram sensações opostas às das cores quentes, diminuindo a circulação do observador. O azul é considerado uma cor que gera calma, a harmonia, a paz, mas também a tristeza e melancolia. Já as cores complementares são as consideradas “negativas”, ou seja, quando você contrasta uma cor com outra totalmente oposta.

Seguindo alguns preceitos básicos das cores, normalmente as cores consideradas mais frias como o azul, o verde e o violeta são mais utilizados em ambientes como o quartos e salas, onde a ideia comumente é relaxar e acalmar. Nada impedindo que decorações em cores complementares estimulem o ambiente, no caso de escritórios, home offices e salas que tem detalhes em amarelo, que estimulam o lado intelectual e a sabedoria.

Cores quentes como vermelho, amarelo e laranja são muito utilizadas em cozinhas e ambientes que necessitam de energia, estimulação e até mesmo diversão. Já o branco, traz a calma e a paz os ambientes, simbolizando a limpeza.

Outra cor que aumenta os ambientes, além de ser elegante, se combinado harmoniosamente é o preto. Lembrando que deve ser uma cor acompanhada de decoração mais alegre e iluminação apropriada para não tornar os ambientes sombrios.

Apesar de todos os conceitos básicos, o importante é que o proprietário esteja satisfeito com as cores dos ambientes e as sensações que devem ser sentidas de acordo com suas escolhas. Um quarto pode ser totalmente colorido, desde que os objetos de decoração estejam de acordo. Portanto, é sempre indicado a busca da ajuda de um profissional que auxiliará no êxito do resultado final.



7 visualizações

© 2018, Moran Anders Arquitetura

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
ag alex guerra design comunicação